Biologia e Desenvolvimento dos Insetos

BIOLOGIA DOS INSETOS

1. Ciclo Biológico: conjunto de fases por que passa o inseto, desde o ovo até a morte.

Obs: A multiplicação rápida dos insetos deve-se a:

1.Fêmeas prolíferas
2.Ciclo biológico curto

2.Tipos de Reprodução

a) Assexuada
b) Sexuada

3.Reprodução dos Insetos

a) Oviparidade: postura de ovos ou óvulos. Ocorre na maioria dos insetos.
Ex. Lepidoptera, Coleoptera.

b) Viviparidade: o desenvolvimento embrionário é completado dentro do corpo materno. São depositados formas jovens e até pupas. Pode ser:

1.Adenotrófica: o embrião se alimenta de glândulas hipertrofiadas.
Ex. Glossina morsitans

2. No hemocele: ovos são liberados no hemocele. Larvas escapam devorando a mãe. Ex. Strepsiptera, Cecidomiidae.

3.Pseudoplacentária: a alimentação do embrião se da através de estruturas pareci-das a placentas. Ex. pulgões.

4.Ovoviviparidade: ocorre a deposição de ovos com embriões desenvolvidos, ou mesmo larvas recém-eclodidas. Ex. Tachinidae.

c) Partenogênese: óvulos se desenvolvem sem fecundação. Pode ser:

1.Telítoca: quando origina apenas fêmeas. Ex. Pulgões em clima tropical
2.Arrenótoca: origina apenas macho. Ex. Zangões
3.Anfítoca: origina indivíduos de ambos os sexos. Ex. Pulgões em clima tem-perado.

OBS: Reprodução de pulgões em clima temperado

No verão: partenogênese telítoca
No outono: anfítoca para a produção de ovos resistentes
No inverno: ovos
Na primavera: partenogênese telítoca.
d) Pedogênese: ocorre em formas imaturas com ovários funcionais. É partenogenética. Cecidomiidae.

e) Poliembrionia: produção de dois ou mais embriões a partir de um único ovo. Ex. Microhimenopteros como Chalcididae e Braconidae.

f) Hermafroditismo: os dois sexos no mesmo indivíduos. Ex. Icerya purchasi.

g) Neotenia: manutenção de forma jovem no adulto. Ex. Psichidae (Bicho- cesto).

DESENVOLVIMENTO DOS INSETOS

Pode ser:

- Embrionário
- Pós-embrionário

1.Eclosão das larvas

- Deglutição de líquido amniótico
- Força muscular

2. Estádio e Ínstar

- Estádio: período entre duas ecdises
- Ínstar: idade, forma, cor, e tamanho do inseto durante um estádio.

OBS: 1. A maioria dos insetos muda de pele de quatro a seis vezes

2. O último ínstar é chamado adulto ou imago.

3. Metamorfose: mudança através da qual um inseto passa de ovo a adulto.

4. Controle da metamorfose

- Hormônio do cérebro (Corpo cardíaco)
- Ecdisônio (Glândulas protorácicas)
- Neotenin (Corpo cardíaco)

5. TIPOS DE METAMORFOSE

a) Ametabolia: forma jovem igual ao adulto. Ex. Thysanura e Collembola
b) Hemimetabolia: insetos recém-eclodido assemelha-se ao adulto com diferença no ta-manho, ausência de asas e órgãos genitais imaturos. Forma jovem chamada Náiade (para aquáticos) ou Ninfa (para terrestres). Ex. Odonata, cigarras e gafanhotos.
c) Holometabolia: forma jovem difere totalmente do adulto. Ex. Lepidoptera, Coleoptera.

FASES DO DESENVOLVIMENTO

1. Ovo
- Estrutura

Estrutura do ovo de um inseto

2. Forma jovem: fase que vai da eclosão da larva até pupa ou adulto

a)Ninfa: forma jovem dos insetos hemimetabólicos terrestres apresentando corpo, aparelho bucal, olhos compostos e hábitos semelhante ao adulto. Se aquático denomina-se náiade. Ex. gafanhotos e Odonata.

b) Larva: forma jovem dos insetos holometabólicos em que as asas se desenvol-vem sob o exoesqueleto, corpo cilíndrico diferente do adulto, sem olhos compostos, aparelho bucal em alguns casos diferente do adulto.

3. Tipos de Larvas

a) Campodeiforme: pernas torácicas bem desenvolvidas, corpo achatado, predadores. Ex. Joaninhas

b) Carabiforme: corpo achatado, cabeça grande e mandíbulas bem desenvolvida. Ex. Carabideos.

c) Escarabeiforme: sem olhos, patas bem desenvolvidas, corpo encurvado, vive no solo. Ex. pão-de-galinha.

d) Curculioniforme: semelhante a descrição anterior porem sem patas.

e) Elateriforme: corpo cilíndrico, alongado e consistente. Ex. larva arame.

f) Buprestiforme: cabeça pequena encravada no tórax.

g) Cerambiciforme: cabeça pequena, tórax bem desenvolvido (Coleobrocas)

h) Eruciforme: cilíndrica, patas locomotoras abdominais, cabeça bem desenvolvida. Lagartas dos lepidópteros.

i) Vermiforme: ápode, cabeça diminuta, corpo afilado.

j) Limaciforme: ápode, achatada, semelhante a certas lesmas.

4. PUPAS

Fase de transição entre larva e imago. É uma fase inativa do ponto de vista de locomo-ção mas ativa do ponto de vista fisiológico.

4.1. Histólise e histogênese

O primeiro termo refere-se ao processo de degeneração ou dissolução e o segundo à reconstituição dos tecidos.

Ex.
- Pernas abdominais das lagartas desaparecem e as dos dípteros são adquiridas.
- Traqueo-brânquias das formas jovens aquáticas são substituídas por espirá-culos.
- Asas são formadas.

4.2. Tipos de pupas

a) Exarada: apêndices visíveis e agastados do corpo. Ex. Coleópteros, Himenóp-teros, Neurópteros.

b) Obtecta: apêndices intimamente ligados ao corpo. Típica de lepidópteros. Po-dem ser nuas (famílias Noctuidae, Sphingidae, Pieridae) ou encerradas em ca-sulo (bicho-da-seda) ou em estojo (bicho cesto e traças).

c) Coarctada: envolta pela última pele endurecida e encurtada. Típica de Diptera.

Unless otherwise stated, the content of this page is licensed under Creative Commons Attribution-ShareAlike 3.0 License