Orgãos dos Sentidos dos Insetos

ORGÃOS DOS SENTIDOS DOS INSETOS

Todos os insetos possuem órgãos sensoriais que os capacitam a perceber o ambiente. Estes órgãos convertem energia luminosa, química ou mecânica, originada do ambiente, em impulsos nervosos que conduzirão a uma resposta comportamental apropriada : encontrar recursos (alimento, acasalamento etc.), evitar predadores ou reagir a mudanças ambientais. Podem ser agrupados em três categorias:

1. Receptores mecânicos: detectam movimentos, vibrações, toques etc.

2. Receptores químicos: detectam a presença de substâncias químicas no ar ou em um substrato.

3. Fotoreceptores: detectam a presença e qualidade da luz incidente (radiação eletromagnética).

RECEPTORES MECÂNICOS (sentido táctil)

1. Sensilo Tricógeno: são pelos associados a um neurônio simples, bipolar cujo dentrito esta ligado à base do pelo. Grupo desses pelos são freqüentemente encontrados por trás da cabeça, nas patas ou nas juntas, informando a respeito do movimento do próprio corpo do inseto.

2. Sensilo Campaniforme: são discos ovais planos que servem para perceber qualquer flexão ocorrida no exoesqueleto. São encontrados por todo o corpo do inseto, especialmente nas patas, na base das asas e ao longo das suturas onde dois escleritos se encontram.

3. Órgãos Cordotonais: incluem vários tipos de mecanoreceptores nos quais um ou mais neurônios bipolares estabelecem ligação entre duas superfícies internas do exoesqueleto. Tipos comuns desses órgãos são:

a) Órgãos subgenuais: localizados nas patas de vários insetos, são muito sensíveis a vibração no substrato.
b) Órgãos timpanais: estão ligados a membranas que respondem à vibrações sonoras. Essas estruturas estão localizadas no tórax (alguns Hemiptera), no abdome (gafanhotos e algumas mariposas) ou na tíbia anterior (nas esperanças, grilos e paquinhas).
c) Órgão de Johnston :encontrado por dentro do pedicelo de cada antena. Nos Diptera, estão associados à percepção das vibrações sonoras ocorridas nos pelos antenais.

RECEPTORES QUÍMICOS

1. Gustação: os receptores gustativos são os mesmos sensilos tricógenos, placodes e basicônicos ligados a dentritos de vários neurônios sensoriais, expostas para o exterior através de uma abertura (poro) na cutícula. Cada neurônio parece responder a tipos diferentes de compostos (açúcar, sal, proteínas etc.). São mais abundantes nas peças bucais mas podem também ser encontrados nas antenas, tarsos e genitália, especialmente na parte apical do ovipositor.

2. Olfato: são cones (sensilo basicônico) ou placas (sensilo placode) com numerosos poros através dos quais penetram as moléculas difusas das várias substancias químicas existentes no ar. São extremamente sensíveis podendo perceber substancias mesmos em baixíssimas concentrações (ex. feromônios). São mais comuns nas antenas mas podem ser encontrados também nas peças bucais e genitália.

FOTORECEPTORES

1. Olhos Compostos: encontrado praticamente em todos os insetos adultos e em algumas formas imaturas. Como o nome sugere, são compostos por omatídeos que são a unidade estrutural e funcional da visão dos insetos. O número de omatideos é variável podendo algumas operárias de formigas apresentar menos que seis, enquanto alguns Odonata podem ter mais 25.000.

Estrutura do Omatídeo

- Córnea: parte transparente da cutícula; possui função de lente
- Cone cristalino: situado abaixo da córnea e que conjuntamente com ela, é responsáveis por concentrar e refletir a luz para a região contendo pigmentos.
- Rabdoma: é a parte fotossensivel do omatídeo em forma de bastonete produzido por 6-8 neurônios especializados chamados retínulas. Esta colocado logo abaixo do Cone Cristalino.
- Íris: células pigmentadas situadas em torno do omatídeo.
- Retina: formada pelas retínulas; ligadas a neurônios.

2. Olhos Simples (Ocelos): podem ser laterais ou dorsais

a) Ocelos Dorsais: comumente encontrados nos adultos e em forma imaturas de insetos hemimetabólicos. Diferem dos olhos compostos por apresentarem apenas uma córnea cobrindo vários rabdomas. Não formam uma imagem do ambiente mas respondem a mudanças na intensidade luminosa.

b) Ocelos Laterais: são os olhos das larvas dos insetos holometabólicos e de alguns adultos. Sempre ocorrem lateralmente e são estruturalmente semelhantes ao dorsais apresentando muitas vezes um cone cristalino sob a córnea.

TIPOS DE VISÃO: a visão dos insetos é explicada pela teoria do mosaico ou seja, cada omatídeo apresenta um pequeno campo visual, sendo possível a visão apenas pela junção de inúmeras imagens individuais. Dependendo do grupo temos os seguintes tipos de visão:

- Aposição ou Justaposição: colocação lado a lado dos pontos luminosos dos omatídeos. Ex. Odonata, Diptera.
- Superposição: pontos de luz vizinhos (até 30 omatídeos) podem ser concentrados em um único rabdoma. Ex. mariposas.

FOTORECEPTORES EXTRA -OCULARES

Alguns insetos respondem a mudanças na intensidade luminosas, mesmo sem o funcionamento dos fotoreceptores conhecidos. Nenhum receptor específico foi encontrado até o presente.

Unless otherwise stated, the content of this page is licensed under Creative Commons Attribution-ShareAlike 3.0 License