Ta Rax Dos Insetos

TORAX

• É a segunda região do corpo do inseto, apresenta os apêndices locomotores (pernas e asas).
Composto por :

Protórax – ligado a cabeça (1º par de patas)
Mesotórax – segmento mediano (2º par de patas e 1º par de asas)
Metatórax – ligado ao abdome (3º par de patas e 2º par de asas)

Constituição dos segmentos

Tergo ou noto (4 pares de tergitos)
Pleuras (2 pares de pleuritos) e
Esterno (2 esternitos).

Tergitos: prescuto, escuto, escutelo e pós-escutelo
Pleuritos: epímero e episterno
Esterno : esternitos

• Apêndices Torácicos: Pernas e Asas

PERNAS

- Pernas: apêndices locomotores terrestres ou aquáticos, um par para cada segmento torácico , localizado entre o epímero e o episterno. Função: locomoção, escavar, coletar alimentos, capturar presas.

• Estrutura da pata:

a) Coxa: articula-se com o tórax através da cavidade coxal.
b) Trocanter: curto segmento entre a coxa e o fêmur, pode ser dividido em duas partes (ditroca).
c) Fêmur: parte mais desenvolvida, robusta e forte da pata, situada entre o trocanter e a tíbia.
d) Tíbia: segmento delgado e quase tão longo quanto o fêmur. Pode apresentar espinhos e esporões.
e) Tarso: porção articulada, constituída por artículos denominados tarsômeros (de 1 a 5).

Podem ser:

Homômeros: mesmo número de tarsômeros nos três pares de pata
Heterômeros: número diferente de tarsômeros nos três pares.

a) Pós-tarso: última parte da pata dos insetos. Composta de:

Garras
Auxílias
Arólio
Pulvilo
Empódio

Tipos de Patas

a) Ambulatória: tipo fundamental, presente em quase todas as ordens, apropriadas para andar ou correr.
b) Saltatória: pernas posteriores dos gafanhotos. Fêmur e tíbias bem desenvolvida, entumecidas e alongadas.
c) Natatória: encontradas em insetos aquáticos. Parte mediana e posterior adaptada para nadar. Fêmur, tíbia e tarso achatados e com margens providas de pelos e esporões.
d) Preensora: fêmur desenvolvido, com um sulco no qual se aloja a tíbia recurvada. Serve para prender outros animais (presa).
e) Raptatória: transformadas para capturar outros insetos. Fêmur e tíbia com numerosos espinhos e dentes.
f) Fossorial: servem para escavar o solo. Tíbias ou tarsos modificados em expansões laminares.
g) Escansorial: tíbia, tarsos e garras tarsais possibilitam aos piolhos agarrarem-se ao pelo do hospedeiro.
h) Coletora: Terceiro par de patas de alguns himenópteros. Servem para recolher e transportar grãos de pólen. O primeiro segmento do tarso é bastante desenvolvido (basitarso). Nas abelhas existe a corbícula.
i) Adesivas: Pernas anteriores de alguns coleópteros aquáticos (machos) objetivando fixar-se durante a cópula.

ASAS DOS INSETOS

ASAS: apêndices torácicos para locomoção aérea. Só são funcionais na fase adulta. Normalmente dois pares (um no mesotórax e outro no metatórax). Algumas formas são ápteras. Aptésicos são os que possuem asas mais não voam. Podem servir também de proteção (Coleoptera), produção de som (Ortoptera),órgão de equilíbrio (Diptera) e coletor de calor (Lepidoptera).

Estrutura da Asa

Pterália (articulação com o tórax): placa humeral, 4 axilárias, 2 placas medianas, tégula (em alguns casos)
Células: são áreas da asa delimitadas pelas nervuras ou por estas e o bordo das asas. Podem ser abertas ou fechadas.
Nervuras: expansões enrijecidas das traquéias. Importante para a taxonomia.

Tipos de Nervuras

Longitudinais: costal, sub-costal, radial, mediana, cubital, pós-cubital, anais e jugais.

Transversais: humeral, radial, setorial, rádio-mediana, mediana, médio-cubital, cubital, cúbito-anal e anais.

REGIÕES DA ASA

- Área articular
- Ala ou remígio : asa propriamente dita.
- Anal ou vanal: região triangular separada da ala pela dobra anal
- Jugal: área pequena nem sempre presente separada da anal pela dobra jugal

BORDOS DA ASA

- Costal ou anterior: limita o bordo anterior da asa
- Lateral ou externo: limita lateralmente a asa
- Anal ou interno: limita internamente a asa

ÂNGULOS DA ASA

- Humeral ou axilar: formado pelos bordos anterior e anal
- Apical: formado pelos bordos anterior e lateral
- Anal: formado pelos bordos lateral e anal

ESTRUTURAS DE ACOPLAMENTO

- Jugo: projeção do lobo da asa anterior
- Frênulo: cerda inserida na asa posterior que se encaixa no retináculo da asa anterior
- Hâmulos: ganchos diminutos existentes no bordo anterior ou costal das asas posteriores

TIPOS DE ASAS

- Membranosas: são finas e flexíveis com nervuras bem distintas. É o par posterior da maioria dos insetos

Pode ser:
Nuas

Cobertas: pelos, espinhos ou escamas

Ex: Lepidoptera, Neuroptera , Odonata.

- Tégmina: Aspectos pergaminoso ou coriáceo, normalmente estreitas e alongadas
Ex: Orthoptera

- Élitros: são duras e servem de proteção as asas membranosas dos Coleoptera. São chamados braquiélitros quando não cobrem totalmente o abdome.

- Hemiélitros: Asas anteriores dos percevejos apresentam a parte basal coriácea e a apical membranosa.

Clavo
Parte basal Embólio
Cúneo

Pequena aréola
Parte apical Grande aréola

- Balancins ou Halteres: Asas metatorácicas dos Diptera com função de equilíbrio do vôo.

- Pseudo-halteres: asas anteriores dos Strepsiptera.

- Franjadas: São alongadas com longos pelos em toda sua extensão, nervuras reduzidas. Presentes nos tripes.

- Lobadas: Asas dos microlepidoptera. As margens das asas acompanham as nervuras, formando lobos.

Unless otherwise stated, the content of this page is licensed under Creative Commons Attribution-ShareAlike 3.0 License